sábado, 11 de junho de 2016

Vila do Conde 363 Anos de História. (com novos fatos)

       10 de Junho é dia de Festa, em Vila de Conde. Parabéns ao seu Povo, pelos seus 363 Anos de fundação!



Um breve histórico da Vila do Conde: “inicialmente habitada pelos Índios Mortiguras. Para catequizar os índios, os Jesuítas, construíram uma modesta capela de palha.
O padre José Delgardes, que chegou antes de 1653, criou a Missão dos Mortiguras, que se tornou uma das maiores do estado do Maranhão e Grão Pará, a Missão hospedou  o padre Antonio Vieira.
 (Uma das mais influentes personagens do século XVII em termos de política e oratória, destacou-se como missionário em terras brasileiras, defendeu incansavelmente os direitos dos povos indígenas combatendo a sua exploração e escravização e fazendo a sua evangelização. Era por eles chamado de "Paiaçu" (Grande Padre/Pai, em tupi). Assim como o Padre João Felipe Bettendorff, (fundador da cidade de Santarém, sob o nome de "Aldeia dos Tapajós).  A data da construção da capela de São João de Mortigura, que deu origem a Vila do Conde, foi em 04 de Março de 1653.”

Em 1720 a capela deu lugar á atual Igreja de São João, construída em estilo colonial. 
A principio a Igreja foi construída com a frente voltada para o Rio Pará, em 27 de Dezembro de 1823 foi inaugurado um novo pórtico aberto para a terra,(atual Praça da Matriz). Segundo relatos de moradores mais antigos pelo motivo dos fortes ventos vindo do mar, que apagavam ás velas, então houve a necessidade da mudança que permanecem até hoje.
Com a expulsão dos Jesuítas por forças da política pombalina o local recebeu o nome de Vila do Conde, um topônimo de Portugal: “Em homenagem ao lugar, com sua fundação antes de Portugal”.
Segundo o historiador Professor Roberto Carlos, a data oficial, da fundação de Vila do Conde, é 04 de Março de 1653, mas simbolicamente e festejado, em 10 de Junho.
Afirmou Roberto Carlos: que as tribos primitivamente existentes no território, que formou o Município de Barcarena, foram: “Mortiguras, Gibiriés, e Canapijós”. Todas as tribos formadas do tronco da etnia Tupinambá.
Até antes de 1943, Vila do Conde pertencia a Comarca de Belém, com a emancipação política do Município de Barcarena, pelo Decreto Estadual 4.505 de 30/12/1943 passou a ser denominado Distrito de Murucupi e a pertencer a Barcarena.
Uma das tentativas de Emancipação Política e territorial de Vila do Conde, com grande impacto foi em 1991, o Projeto chegou a ser votado, na Assembleia Legislativa do Estado, por encaminhamento do então deputado estadual Bira Barbosa, mas não foi aprovado.


Localizada as margens do Rio Pará, em frente á Baia do Marajó. 
Tem como cartão postal: a Igreja tri-centenária de São João Batista patrimônio histórico; Praça da Matriz; sua Praia de água doce, o Porto Inaugurado pela Companhia Docas do Pará (CDP), em 24 de outubro de 1985, carro chefe de todo o Complexo Industrial, entre outros.


(No dia 06 de Outubro de 2015, O navio de bandeira libanesa sofreu um acidente no porto. Segundo a Capitania dos Portos, o navio transportava cerca de cinco mil bois, casando, grandes prejuízos ambientais, e financeiros aos seus moradores). Águas passadas: “com a retirada das carcaças dos bois, que ficaram no navio, a praia, já são um dos atrativos aos seus moradores e visitantes”.


Conde possui estrutura de uma cidade, com uma população flutuante, mais com base fixa, estimada de 15 mil habitantes. 
Recebe o abastecimento de água; tem suas feiras; hotéis; serviços do correio; escolas nas áreas, estadual e municipal; campo de futebol, com vários clubes, quadra de esporte; várias Igrejas centro comunitário, cemitério; posto de saúde e duas unidades de estratégicas de saúdes da família, três publicidades, com um passo para sua primeira rádio comunitária, (Murucupí FM), comércios variados, serviços de moto taxi, transportes alternativos ligando a Sede do município e transporte intermunicipal, etc. 
Na segurança, está instalado o octogésimo nono PPD (99°Posto Policial Destacado), com rondas 24 horas no atual comando do sargento J. Pólo.
Suas festas populares, Círio do Jesus dos Navegantes, realizado no segundo domingo de Janeiro de cada ano, Círio de São João Batista, que será realizado agora em 19 de Junho, o festival do peixe, sempre realizado durante as férias escolares, entre outras.
Entre seus moradores mais antigo, enfatizo o viúvo senhor Osvaldo Cristo dos Anjos, com 105 anos, torcedor do esporte clube união, e devoto fervoroso de São João Batista, padroeiro do Povo católico de Vila do Conde. Esses moradores que sempre no dia como hoje 10 de Junho, são homenageados, por seus legados a Vila do Conde.
A ligação de Belém a de Vila do Conde pode ser feita pela BR-316 até o Município de Marituba, seguindo após pela Alça Viária até entroncamento com a PA-151 e daí para a Vila do Conde no km 2 da PA-481. Todo o trajeto tem 120 km.
Acesso Rodo-fluvial: É realizada através da travessia em balsas, serviço 24 horas, até o Terminal do Arapari (no Maximo uma hora de travessia). Depois com Acesso a rodovia PA-151 até o entroncamento com a PA-483, 22 km, prosseguindo até o km 2 da PA-481.

Fotos da Praia de Vila do Conde.








Redação e fotos de Ari Soares, apoio cultural vereadora Lúcia Nascimento,Junior Ogawa Rodrigues, Paulo Alcantara.



Um comentário:

  1. Quem nasce em Vila do Conde é o que?
    Vila condense, condiense ou condense

    ResponderExcluir